10 de novembro de 2012

Medo…..

 

Mulheres evitam a mamografia com medo de descobrir existência do câncer de mama

São muitas as mulheres que evitam a realização de um exame de mamografia. A principal justificativa é o medo de encontrar alguma lesão que possa apontar um câncer de mama. Porém, quando diagnosticado precocemente, a chance de cura é de 95%. Sendo assim, o receio deveria ser pela hipótese contrária: permitir a evolução silenciosa da doença.

“Descobrir um câncer de mama, em seu estágio inicial, é muito bom. Pois se trata de uma lesão muito pequena, ainda não palpável. Na grande maioria das vezes, diagnósticos de nódulos que medem entre 5 mm e 2 cm, representam a cura da doença e um tratamento com excelência. Ter câncer não representa mais carregar aquele peso que existia no passado”, explica a diretora-médica da clínica de diagnóstico por imagem Mamorad, Radiá Pereira dos Santos.

A mamografia é o melhor método para detectar problemas deste tipo com antecedência. Este procedimento deve ser realizado anualmente, a partir dos 40 anos. Em casos de pacientes com alto risco de câncer de mama é recomendável a submissão a este acompanhamento a partir dos 30 anos.

“ Inclusive o tratamento do câncer não é tão incômodo quanto antigamente. Muitas mulheres com diagnóstico precoce sequer precisam fazer quimioterapia. Quanto mais cedo descoberto o problema, melhor. A morte por câncer está relacionada à disseminação das células cancerígenas por todo o corpo. Quando a doença é restrita a mama, ainda é perfeitamente curável “, esclarece.

Sendo assim, flagrar a neoplasia em seu estágio inicial, implica em um tratamento menos invasivo e, consequentemente, em maior qualidade de vida para a paciente.

Mastectomia dupla

Essa semana, a mulher do cantor Ozzy Osbourne, Sharon Osbourne, revelou a uma revista que fez a retirada dos seios após descobrir ter um gene que aumenta o risco de desenvolver câncer de mama.

Aos 60 anos, Sharon disse à revista Hello! que passou por uma cirurgia de 13 horas.

“A sorte não estava a meu favor. Eu nem penso nos meus seios com nostalgia, só queria conseguir viver minha vida sem aquele medo o tempo todo”, disse.

“Para mim, não foi uma grande decisão, nem pensei muito. Eu não queria passar o resto da minha vida com aquela sombra. Quero viver por muito tempo e ser uma avó para Pearl”, acrescentou.

Fonte: Parorama Brasil / Combate ao Câncer.com

Nenhum comentário: